Série: Lidando com a TPM - PARTE 7

17:09:00 Adriana de Paula 0 Comments

Este Post faz parte do Seriado de Estudos, Lidando com a TPM.
Para que você entenda melhor sobre esta série de estudos sobre a TPM,  e o quanto ele abençoou a minha vida, você precisa ler o primeiro post que está AQUI


 Série: Lidando com a TPM - PARTE 7
By Carolyn Mahaney



Há poucos momentos em que me sinto menos espiritual do que quando enfrento desafios físicos e emocionais como a TPM e (agora) menopausa. Sinto-me cansada e irritada, meu pecado às vezes atingindo aqueles à minha volta.
Minha estratégia muitas vezes tem sido de me esforçar e esperar passar. “Quando isso passar”, eu digo a mim mesma, “então eu voltarei a fazer progresso na vida cristã”. Esqueço que sou um leve sopro no meio do plano de Deus para minha vida! Deus ordenou estes dias hormonais junto com todos os outros. Menopausa não é simplesmente um desafio pelo qual passar. É uma oportunidade de testar a fé e o crescimento espiritual.

Elizabeth Prentiss expressa este ponto lindamente:

“Deus nunca nos coloca numa posição em que não podemos crescer. Podemos imaginar que Ele o faça. Podemos temer que estejamos tão impedidos por nos afligirmos com pequenas preocupações que não estamos ganhando nada; mas quando não estamos enviando galhos para cima, talvez estejamos enviando raízes para baixo. Talvez no tempo da nossa humilhação, quando tudo mais parece falhar, estejamos fazendo o melhor tipo de progresso.”
O melhor tipo de progresso. Longe de causar um declínio espiritual, muitas vezes crescemos mais nestes tempos difíceis do que quando a vida é fácil e sentimos que estamos frutificando (lembrem-se, estes sentimentos não são confiáveis!).

É por isso que o apóstolo Paulo vê a fraqueza como uma oportunidade de louvar ao Senhor:
“Então, ele me disse: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo. Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte.“ (2 Coríntios 12:9-10).

Por causa de Cristo, devemos nos gloriar nas nossas fraquezas, devemos nos alegrar na menopausa ou TPM ou depressão pós parto. Pois quando somos fracos, então, é que o Seu poder repousa sobre nós. Que oportunidade!


__________________________________________________________
Repost. Publicado pela primeira vez em 20/10/2010

(1) Este é o sétimo de uma série de 17 posts publicada no blog Girl Talk entre os dias 12/02/08 a 06/03/08
Fonte: Extraído do site GirlTalk. parte7

Tradução: Priscila Bernardi Heyse e Ester Bernardi Marafigo
www.bomcaminho.com

0 comentários:

Série: Lidando com a TPM - PARTE 6

17:21:00 Adriana de Paula 0 Comments

Este Post faz parte do Seriado de Estudos, Lidando com a TPM.
Para que você entenda melhor sobre esta série de estudos sobre a TPM,  e o quanto ele abençoou a minha vida, você precisa ler o primeiro post que está AQUI



Série: Lidando com a TPM  - PARTE 6
By Carolyn Mahaney


Quando falamos em lidar com os nossos sentimentos, primeiramente precisamos reconhecer que sintomas físicos (sejam hormonais ou de outra natureza), podem resultar em uma tentação maior para pecar. É por isso que é tão importante, como temos dito repetidas vezes, preparar-se para essas fases de nossas vidas.
"Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca." instruiu Jesus em Mc 14:38. E Matthew Henry condói-se: "Que tamancos pesados são esses nossos corpos para as nossas almas! Mas quando vemos problemas à porta, devemos nos preparar para eles."

Embora a tentação seja maior, não significa que temos que pecar. Pela fé temos o poder para resistir à tentação. Existe uma válvula de escape, "Porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei e sim da graça." Rm.6:14

Elisabeth Elliot comenta sobre essa verdade: "Escolhas serão continuamente necessárias e - não nos esqueçamos - possíveis. Obediência a Deus é sempre possível. É um erro mortal seguir o pensamento de que quando os sentimentos são extremamente fortes não podemos fazer nada, a não ser agir por eles."
Não podemos cair na armadilha de acreditar que somos incapazes de confrontar nossos sentimentos. Ao invés disso, precisamos escolher obedecer a Deus.

"Tente", desafia Elisabeth Elliot. "Quando, diante de uma poderosa tentação para errar, existir a rápida e dura renúncia - eu não vou - em seguida virá a repentina perda das amarras do eu, o sim para Deus que deixa entrar a luz do sol, nos leva a cantar e todos os sinos da liberdade soam de alegria."

Que palavras gloriosas para mulheres que se sentem (não que "estão") aprisionadas pela depressão, ansiedade e desespero! Quando escolhemos dizer "eu não vou" para o pecado, experimentaremos (talvez não imediatamente, mas, progressivamente!) liberdade, alegria, e a luz do sol da face de Deus.

Então, quando aquele problema hormonal vier bater à nossa porta, precisamos nos preparar para renunciar aos nossos sentimentos e escolher obedecer. Continuaremos a discutir como, nos próximos dias.


_____________________________________

#Repost. Publicado primeira vez no Blog em 25//10/2010

(1) Este é o sexto de uma série de 17 posts publicada no blog Girl Talk entre os dias 12/02/08 a 06/03/08
Fonte: Extraído do site GirlTalk. parte6

Tradução: Priscila Bernardi Heyse e Ester Bernardi Marafigo

www.bomcaminho.com

0 comentários:

Série: Lidando com a TPM - PARTE 5

17:33:00 Adriana de Paula 0 Comments

Este Post faz parte do Seriado de Estudos, Lidando com a TPM.
Para que você entenda melhor sobre esta série de estudos sobre a TPM,  e o quanto ele abençoou a minha vida, você precisa ler o primeiro post que está AQUI


Série: Lidando com a TPM - PARTE 5
By Nicole Whitacre

Como já dissemos antes, não somos médicas especialistas aqui no girltalk. Hoje temos um caso para exemplificar (mesmo achando que vocês não precisam de maiores evidências para convencê-las!). Uma de nossas leitoras, Christina, que por acaso é uma enfermeira profissional, mandou-nos um e-mail e gentilmente nos explicou que usamos os termos errados. Aquilo a que vimos nos referindo como “pós parto” (que é simplesmente o período de recuperação que se segue ao nascimento do bebê) é chamado de “depressão pós parto” ou “baby blues”.

Mas este pequeno esclarecimento nos dá a oportunidade de passar mais algumas informações úteis sobre o que a mulher pode experimentar após o nascimento do seu bebê. Preparação é metade da batalha e esta é a razão desta série “Preparando-se para a TPM”. Em seu livro “Blame It on the Brain?”(Ponha a Culpa no Cérebro), Edward T. Welch (2) não apenas usa a terminologia correta, mas nos dá uma descrição útil e concisa sobre “baby blues” e “depressão pós parto”:

“Baby blues”: baby blues é uma condição mal definida que é experimentada por 50 a 70 por cento das mulheres na primeira semana a 10 dias após o parto. Raramente grave, começa nos primeiros 3 dias e pode ser identificada como tristeza, depressão, sensação de querer chorar ou variações emocionais rápidas e imprevisíveis. Àquelas que sentem essas emoções, o estopim normalmente é algo insignificante. Aliás, muitas mulheres nem mesmo se sentem tristes quando choram!”

“Depressão pós parto”: mais grave e de maior duração que o “blues”, a depressão pós parto ocorre com 10 a 15 por cento de todas as mães. Indistinta de outras formas de depressão pode durar de duas semanas a um ano.”

Estando cientes disso removemos o elemento surpresa. Em outras palavras, se nos sentimos tristes da primeira semana a 10 dias depois que o nosso bebê nasceu, ou até se a tristeza persistir, não devemos nos chocar. Devemos simplesmente perceber – “Ah, eu sei o que está acontecendo aqui, mas eu também sei que Deus providenciou ‘formas de livramento’ para passar por essa provação”.

Amanhã falaremos mais sobre "lidando com nossos sentimentos" como forma de livramento da depressão pós parto, baby blues ou qualquer outro desfio hormonal!.

__________________________________________

#Repost. Publicado primeira vez em 27/10/2010

(1) Este é o quinto de uma série de 17 posts publicada no blog Girl Talk entre os dias 12/02/08 a 06/03/08

(2) Blame It on the Brain?: Distinguishing Chemical Imbalances, Brain Disorders, and Disobedience (Resources for Changing Lives) , Edward T. Welch
Fonte: Extraído do site GirlTalk. parte5

Tradução: Priscila Bernardi Heyse e Ester Bernardi Marafigo

0 comentários:

Série: Lidando com a TPM - PARTE 4

15:22:00 Adriana de Paula 0 Comments

Este Post faz parte do Seriado de Estudos, Lidando com a TPM.
Para que você entenda melhor sobre esta série de estudos sobre a TPM,  e o quanto ele abençoou a minha vida, você precisa ler o primeiro post que está AQUI


Série: Lidando com a TPM - PARTE 4
By Nicole Whitacre

É mais fácil falar do que fazer. Esse negócio de dizer aos nossos sentimentos para se submeterem à Verdade, não é uma coisa que se faz de uma vez, como aprender o ABC na primeira série. É uma batalha, uma batalha intensa, uma batalha que dura a vida inteira, onde muitas vezes as derrotas são mais freqüentes do que as vitórias, e o progresso é difícil de medir.

Mas não somos as primeiras a lutar. Voltando para traz até o início dos tempos está uma linha ininterrupta de santos que lutaram contra as investidas de suas emoções. O profeta Miquéias sabia o que é “morar nas trevas” (Mq.7:8,9). Jó, em meio ao seu sofrimento, lamentou a sua própria existência: “Pereça o dia em que nasci e a noite em que se disse: Foi concebido um homem! Converta-se aquele dia em trevas.” (Jó:3:3-4). O salmista repreendeu a sua alma em desespero: “Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro de mim?” (Sl.42:5,6). O apóstolo Paulo implorou ao Senhor para tirar o seu espinho, seu “mensageiro de Satanás, para me esbofetear”. David Brainerd “sofreu com o mais negro desânimo, ocasionalmente, durante a sua vida breve.”. O missionário Henry Martyn “sofria de uma tendência óbvia à morbidez e introspecção.” Charles Spurgeon lamentou: “Meu espírito estava tão para baixo que eu poderia chorar por uma hora como uma criança, e mesmo assim não saber por que eu estava chorando.” (Nós todas sabemos o que é isso!). Martyn Lloyd-Jones escreve sobre estar “sobrecarregado de trabalho, e exasperadamente cansado e, portanto, sujeito de uma maneira incomum às investidas do inimigo.” Preciso continuar? Porque eu poderia! E todos esses eram homens que não precisavam lidar com TPM ou menopausa!

Entretanto, a batalha não é a única coisa que esses homens têm em comum. Muito mais encorajador é ver que todos eles receberam graça do nosso Pai Celestial para suportar, e, eventualmente, triunfar! Todos eles foram conduzidos a descobrir a “válvula de escape”.

Como John Piper escreve: Deus teceu a Sua Palavra com fios de verdade diretamente opostos ao nosso desânimo. A lei de Deus realmente restaura (Sl.19:7). Deus realmente nos leva para junto das águas de descanso (Sl.23:2). Deus realmente nos mostra os caminhos da vida (Sl.16:11). A alegriarealmente vem pela manhã (Sl.30:5).”

Que essa “tão grande nuvem de testemunhas” possa nos estimular a continuar “desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia,” e a corrermos” com perseverança, a carreira que nos está proposta.” Hb.12:1
______________________________
#Repost. Publicado primeira vez no blog em 28/10/2010
(1) Este é o quarto de uma série de 17 posts publicada no blog Girl Talk entre os dias 12/02/08 a 06/03/08
Fonte: Extraído do site GirlTalk. parte4

Tradução: Priscila Bernardi Heyse e Ester Bernardi Marafigo

0 comentários:

SÉRIE: Lidando com a TPM - Parte 3

16:17:00 Adriana de Paula 0 Comments

Este Post faz parte do Seriado de Estudos, Lidando com a TPM.
Para que você entenda melhor sobre esta série de estudos sobre a TPM,  e o quanto ela abençoou a minha vida, você precisa ler o primeiro post que está AQUI




















SÉRIE: Lidando com  a TPM - Parte 3 
By Nicole Whitacre


"Oh, a devastação que é provocada, a tragédia, a miséria e desgraça que encontramos no mundo simplesmente porque as pessoas não sabem como lidar com suas emoções!" D. Martyn Lloyd-Jones
Meus sogros têm um cachorro chamado Bailey que o meu filho de 4 anos, Jack, adora colocar na coleira e puxar pelo quintal. Pobre, paciente, Bailey! Está na cara que ele preferia estar cochilando no tapete; mas que escolha ele tem? Ele está na coleira e o Jack está correndo em círculos. Então o Bailey corre em círculos. Quando se trata dos meus sentimentos inconstantes (que me atingem certa época todos os meses) eu às vezes me sinto como o Bailey na coleira. Muitas vezes eu sigo meus sentimentos como que correndo em círculos, esquecendo que eu sou o dono e a coleira deveria estar nos meus sentimentos, não em mim. Se me sinto "irritável" pode ser que eu diga coisas desagradáveis. Se me sinto deprimida, talvez eu chore. Se me sinto com medo, eu posso me retrair. Se me sentir desanimada, minha vontade é de me encolher e voltar a dormir. Obviamente eu não preciso frequentar a escola da obediência! Não, eu preciso lidar com meus sentimentos em vez de deixar os meus sentimentos me dominarem. É a "saída número 1" do labirinto hormonal.

D. Martyn Lloyd-Jones fala no seu livro (que recomendamos) Depressão Espiritual:
"Evite o erro de concentrar demais em suas emoções. Acima de tudo, evite o terrível erro de colocá-las no centro... Se você as colocar ali, estará se condenando à infelicidade porque não está seguindo a ordem que o próprio Deus estabeleceu... Afinal o que temos na Bíblia é a verdade; não é um estímulo emocional, não é algo destinado primariamente a nos dar uma experiência jubilosa. É antes de tudo, verdade, e verdade é algo dirigido à mente, o dom supremo de Deus ao homem; e é quando compreendemos a verdade e nos submetemos a ela que as emoções se seguem."

É compreendendo e nos submetendo à Verdade que colocamos uma coleira nos nossos sentimentos e eles, então, devem nos seguir. A princípio eles nos seguirão lentamente mas no final, quando colocarmos a Verdade no centro de nossas vidas, nossos sentimentos entrarão na linha. Qual é a Verdade? D. Lloyd-Jones novamente:
"Ponham no centro o Único que tem o direito de estar ali, o Senhor da glória, que tanto amou a vocês que foi à cruz e levou sobre Si o castigo e a vergonha dos seus pecados, e morreu por vocês. Busquem a Ele, busquem a Sua face e todas as demais coisas lhes serão acrescentadas"

Somente a Verdade do Evangelho é mais poderosa que nosso sentimentos instáveis. Então, não importa como seus hormônios estão enfurecidos hoje ou quanto o "Dia dos namorados" possa fazê-la sentir-se só, desapontada ou deprimida. Ponha no centro o Único que tem o direito de estar lá: nosso Salvador! E diga aos seus sentimentos que se curem.
__________________________________________________
#Repost, Publicado em 11/09/2010
(1) Este é o terceiro de uma série de 17 posts publicada no blog Girl Talk entre os dias 12/02/08 a 06/03/08
(2) Nicole Whitacre é a primogênita da Carolyn Mahaney e uma das contribuintes do site Girltalk
(3) Estas postagens foram feitas na época em que os americanos comemoram o Valentines's Day que é mais ou menos o equivalente ao nosso "Dia dos Namorados"
Fonte: Extraído do site GirlTalk. parte3
Tradução: Priscila Bernardi Heyse e Ester Bernardi Marafigo

0 comentários:

Série: Lidando com a TPM - Parte 2

09:39:00 Adriana de Paula 0 Comments


Este Post faz parte do Seriado de Estudos, Lidando com a TPM.
Para que você entenda melhor sobre esta série de estudos sobre a TPM,  e o quanto ela abençoou a minha vida, você precisa ler o primeiro post que está AQUI


Segundo uma pesquisa realizada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), e publicada na revista científica Journal of Affective Disorders em abril do ano passado, uma em cada quatro mulheres no Brasil sofrem de depressão pós-parto. É um número assustador, e mais assustador ainda é como lidar com a situação. Janelle Bradshaw conta como Deus a ajudou a vencer a Depressão pós-parto e como Ele pode te ajudar também a vencer o medo, a tristeza, a ansiedade, a indisposição e exaustão e outros sintomas tão presentes na depressão pós-parto. A minha oração é para que esta série de estudo fale profundamente ao seu coração e traga a cura que tanto você precisa.
.............................................................................

Série: Lidando com a TPM  - Parte 2 
By Janelle Bradshaw

Caly vai fazer 2 anos na semana que vem. Como todas as mamães costumam dizer "parece que foi ontem" que eu trouxe a minha doce menininha do hospital para casa. E, bom, para ser bem sincera, parece que foi ontem que a minha amiga "depressão pós-parto" também me seguiu do hospital até em casa. (Talvez eu deva ter o meu próximo bebê em outro lugar!)

Como eu havia visto a minha mãe e as minhas duas irmãs terem bebês e não passarem pela depressão pós-parto, eu estava completamente despreparada para os três meses depois do nascimento de Caly. Devido ao corte da cesárea, minha recuperação foi um pouco mais lenta, mas, mesmo depois que toda a dor havia desaparecido, eu ainda me sentia cansada e muito fraca. Eu acordava todas as manhãs achando que estava melhor, somente para descobrir que, depois de algumas horas estava novamente exausta e impotente. As lágrimas eram minhas companheiras constantes. Isso durou uns três meses, então, de repente, sumiu da mesma maneira como havia repentinamente aparecido.
Da mesma maneira, o primeiro trimestre desta minha gravidez trouxe desafios semelhantes. Junto com os vômitos e a exaustão, tenho experimentado aquele sentimento familiar de estar "pra baixo", como com a minha amiga "depressão pós-parto." Tudo o que alguém precisa fazer é olhar pra mim e eu já começo a chorar. Puxa! Eu não acho que pareço uma boa companhia no momento! (Haha!)

Então, o que uma garota deve fazer? Talvez você não esteja passando por depressão pós-parto ou desânimo de gravidez, mas talvez a sua luta esteja na TPM ou na menopausa. Para mim, uma das coisas mais encorajadoras que a minha mãe me disse depois que a Caly nasceu foi . . . "ISSO É NORMAL". Sim, isso é normal. Como diz I Coríntios 10:13 "Não vos sobreveio tentação que não fosse humana.". Esses desafios hormonais são uma tentação – veja bem, não uma desculpa para pecar – mas, com certeza, uma tentação bem significativa. E não estamos sozinhas nesta luta. Mulheres ao redor de todo o mundo experimentam essas mesmas coisas. Não somos as primeiras e, certamente, não seremos as últimas.
Eu não sei pra você, mas essa verdade traz conforto ao meu coração. Eu não sou uma pessoa estranha passando por uma provação única de causa desconhecida. O Senhor permite isso, e Ele vai dar toda graça necessária para podermos suportar. Na verdade, essa é exatamente a promessa que está na continuação de I Coríntios 10:13 "Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar."

Nosso Senhor não nos coloca no meio de uma loucura hormonal, e depois nos abandona para encontrarmos a saída do labirinto sozinhas. Não, Ele graciosamente providencia uma válvula de escape para que possamos suportá-la. Ele providencia uma saída pra que possamos regozijar nEle (mesmo quando é a última coisa que temos vontade de fazer!). Vamos passar os próximos dias considerando algumas das "válvulas de escape" que Deus tão graciosamente providenciou para nós.

Para mim, Deus foi fiel em me ajudar a suportar os três meses que se seguiram depois que Caly nasceu. Essa mesma ajuda está aqui em meio aos enjôos matinais e hormônios da gravidez. E eu sei que Ele será fiel novamente nos meses que seguirão a chegada deste pequenino. Eu não ficarei surpresa desta vez. Não. Estou planejando receber a depressão pós-parto juntamente com o bebê número 2, porque eu sei que o Senhor me dará forças para suportá-la. Saber disso vai secar algumas daquelas lágrimas.

Janelle Bradshaw

_______________________________________________________

* #Repost. Publicado pela primeira vez no Blog em 10/09/2010

(1) Este é o segundo de uma série de 17 posts publicada no blog Girl Talk entre os dias 12/02/08 a 06/03/08

(2) Janelle Bradshaw é a filha mais nova da Carolyn Mahaney e uma das contribuintes do site Girltalk
Fonte: Extraído do site GirlTalk. parte2

Tradução: Priscila Bernardi Heyse e Ester Bernardi Marafigo


0 comentários:

Série: Lidando com a TPM - Parte I

14:21:00 Adriana de Paula 6 Comments


Como disse no post anterior, iremos começar hoje uma série de estudos com o tema: Lidando com a TPM. Foi através deste estudo que alguns anos atrás depois de fazer vários tratamentos para tratar uma severa TPM que encontrei graça para glorificar a Deus e servir minha família neste período difícil. Hoje depois de tantos anos, posso dizer que Deus me ensinou a lidar com a TPM de forma graciosa. Sei o quanto a TPM pode ser uma provação na vida de uma mulher, por isso senti direcionada a compartilhar mais uma vez esta série de estudos aqui no blog.

Se você sofre com a TPM, ou conhece alguém que sofra, não deixe de ler e compartilhar este seriado de estudos. Compartilhe com uma amiga, envie para uma mulher que necessita de graça para enfrentar a TPM!

___________________________
#Repost. Publicado pela  primeira
vez no Blog em 09/09/2010

Há alguns anos que venho 'lutando' com a TPM. Tem sido o meu 'espinho' na carne. Tratamentos médicos só aliviam, mas não curam. Na busca de encontrar algo que me possa ajudar 'naqueles dias', já li vários livros e artigos sobre o assunto. E esta semana me deparei com um seriado de mensagens bíblicas sobre a TPM, um assunto ainda ignorados por muitos...

Todas as mensagens postada no meu blog ' Mulheres que Edificam', é de autoria minha, mas fiquei tão agradecida por encontrar um artigo, alias 17 artigos! Isso mesmo, é um seriado com 17 partes sobre a TPM, com uma perspectiva bíblica, que quero compartilhar com vocês.

Então convido a você, para juntas prepararmos para essa fase, que tem sido um martírio para milhares de mulheres. Que Deus nos dê da sua graça para a enfrentarmos de modo que o Seu nome venha ser glorificado “Portanto, quer comais quer bebais, ou façais, qualquer outra coisa, fazei tudo para glória de Deus” (1 Coríntios 10.31).


Preparando-se para a TPM - Parte I 
By Carolyn Mahaney

Nós sabemos que eles virão (a maior parte das vezes): TPM, enjôos matinais, pós parto, menopausa. Ainda assim estas provações físicas previsíveis da vida de uma mulher tendem a nos pegar desprevenidas. Quando elas aparecem nos sentimos como se tivéssemos sido apunhaladas pelas costas e lutamos pra ficar firmes em meio aos desafios físicos e emocionais. Semana passada eu e minhas meninas passamos uma tarde respondendo perguntas das esposas dos homens do Sovereign Grace Pastors College. Tivemos uma tarde ótima com estas doces senhoras. A última pergunta foi de uma mulher que estava novamente grávida e temendo os inevitáveis sentimentos de tristeza pós parto que ela sabia se seguiriam ao nascimento do seu bebê. Ela humildemente pediu conselho: "como ela poderia glorificar a Deus e servir sua família neste período difícil?" Esta sábia mulher entendeu a verdade de Prov. 22:3 "O prudente vê o mal e esconde-se; mas os simples passam adiante e sofrem a pena." Ela viu o mal e, buscando conselho, ela estava se escondendo dele.

Pelos próximos dias estaremos conversando sobre algumas das maneiras como todas nós podemos nos preparar para os "males" do pós parto, TPM ou outras dificuldades físicas. Portanto, independente da época do mês em que você se encontra, esperamos que você junte-se a nós para uma pequena preparação para TPM. Você sabe que está chegando. Mas tenha esperança: a graça de Deus está aqui pronta para nos ajudar a nos prepararmos para glorificá-Lo e servir a outros. Vamos ver como.

_________________________________________

(1) Este é o primeiro de uma série de 17 posts publicada no blog Girl Talk entre os dias 12/02/08 a 06/03/08
Fonte: Extraído do site GirlTalk. parte1

Tradução: Priscila Bernardi Heyse e Ester Bernardi Marafigo

6 comentários:

Série: Lidando com a TPM - Preparando- se para a TPM - by Carolyn Mahaney

13:56:00 Adriana de Paula 0 Comments


Hoje foi um daqueles dias em eu que gostaria que estivesse abaixo de 10º graus ( e olha que eu não gosto de frio!) só para estar debaixo dos cobertores, com uma panela cheia de brigadeiro e chorar pelo meu gatinho, que sumiu quando chegamos aqui em São Paulo, e por tantas outras coisas que não me fariam chorar se eu estivesse em um 'dia bom'. Sentimentos de tristeza, desânimo, inadequação e tantos outros insistem em me deixar pra baixo no dia de hoje. Toda essa 'deprê' é porque estou naqueles dias da famosa TPM.  E por estar ' nestes dias' me recuso a pensar e considerar os meus sentimentos, que estão como um vulcão em erupção por causa do meu ciclo menstrual. Já faz algum tempo que aprendi que durante a  TPM não é um  bom momento  para avaliarmos algumas coisas sobre nós, sobre as pessoas e principalmente sobre o marido! A nossa perspectiva de satisfação e felicidade é um tanto distorcida durante este período. Será que é por isso que muitas mulheres dormem felizes e acordam com um sentimento que as faz sentir a pior das criaturas?

 Alguns anos atrás enfrentei uma grande luta contra a TPM, aponto do meu marido me pedir para buscar tratamento médico. Foram dias sombrios e assustadores. Só quem já enfrentou uma severa TPM, e quase colocou em risco o casamento e os filhos, sabe do que estou dizendo. Lembro-me que quando cheguei ao médico ele me disse: 'Menina você precisa se cuidar, a TPM pode acabar com a sua vida'. Naquele mesmo dia comecei o tratamento com sertralina, capsulas de prímula e outros medicamentos que  não me lembro mais.  Aqueles remédios me deixaram tão bobada que eu não me importava mais com a bagunça dos meninos e com as coisas que eles faziam que me deixavam muito irritada. Eles estavam entrando na fase da adolescência  e faziam coisas que os adolescentes fazem e deixam qualquer mãe  maluca . Sem saber como lidar com a 'nova' fase que eles estavam vivendo,  eu vivia em contante pressão e estress . Eu só fui perceber a gravidade da minha situação, quando um certo dia, depois do Matheus ter feito um monte de coisas que me faziam tirar do sério ( e não me tirou, pois estava sob o efeito dos remédios)  me disse: 'Mamãe, não pare de tomar o remédio, a senhora está tão boazinha'. Naquele dia percebi o quanto a minha condição emocional estava fazendo um estrago em meu relacionamento com o meu filho, a ponto dele pedir para eu não parar de tomar os medicamentos. Percebi também  que eu precisava mais do que apenas tomar alguns remédios para controlar minha irritabilidade, eu precisava de uma mudança de atitude, eu precisava de sabedoria, inteligência emocional  e conhecimento sobre o meu corpo e as minhas emoções.

 ' Com a sabedoria de edifica a casa, e com a inteligência ela se firma; e pelo conhecimento se encherão de todas as riquezas preciosas e deleitáveis '  ~ Provérbios 24.3,4  

E foi aí que começou a minha saga em busca de sabedoria divina, inteligência e conhecimento . E foi nesta busca por conhecimento , que um certo dia me deparei com um seriado de  mensagens bíblicas  sobre a TPM. Não era apenas um post sobre o assunto, eram 17 post sobre algo que eu precisava aprender a lidar! Sou grata a Deus por Ele ter me conduzido até este seriado maravilhoso e como esta série foi usada para abençoar a minha vida. Hoje depois de alguns anos, passo pelo período da  TPM sem fazer estragos em minha volta, e a única sequela  que  ficou é a 'necessidade' de comer prazerosamente colheradas de brigadeiro!  

Hoje ao me lembrar do quanto fui transformada e abençoada através  da série Preparando-se para a TPM de Carolyn Mahaney, senti direcionada pelo Senhor a #repostar esta série tão abençoada. Serão 17 semanas de aprendizado e conhecimento para abençoar a sua vida, e de outras mulheres que estão ao seu alcance.  Serão 17 semanas em que edificaremos a nossa casa física e emocional. Serão 17 semanas de restauração e cura! Se você ainda não se inscreveu no blog para receber as mensagens na caixa do  seu e-mail, inscreva-se aqui e receba diretamente em seu email a série: Preparando-se para a TPM,  by Carolyn Mahaney.

Clique aqui e leia o primeiro #repost da Série: Preparando-se para a TPM
by Carolyn Mahaney

No amor de Cristo, 
Adriana de Paula.

0 comentários: